Artes Indígenas no Brasil
DETALHES DO PRODUTO
 
Material: tecido de algodão e tinta para tecido
Tamanho aproximado: 109 x 76 cm
 
SOBRE O PRODUTO
 
O grafismo usado na pintura corporal hoje também é usado para criar lindas telas, um modo de gerar renda, valorizar e promover a arte indígena. A pintura corporal é uma forma de expressão! Se pintam para rituais como casamento, para festejar, para protestar, para se despedir, agradecer, cultuar, guerrear, enterrar os mortos e para afirmar a família que cada um faz parte. A variação gráfica é enorme, sempre inspirados na natureza que os rodeiam.
 
 
Os Kayapó vivem ao longo do curso superior dos rios Iriri, Bacajá, Fresco e outros afluentes do rio Xingu. Estão no estado do Pará e também no Mato Grosso. Se autodenominam Mebêngôkre, "os homens do lugar d'água". São falantes de uma língua do tronco Macro-Jê, tendo algumas variações entre os grupos Kayapó. Se organizam nas aldeias em forma circular em torno de uma grande praça descampada.
 
FICHA TÉCNICA
 
Localização: Mato Grosso e Pará
População aproximada: 11675 (Siasi/Sesai, 2014)
Família Linguística: Jê

TECIDO COM GRAFISMO - KAYAPÓ

R$1.350,00
TECIDO COM GRAFISMO - KAYAPÓ R$1.350,00
Entregas para o CEP:

Meios de envio

  • RETIRADA NA LOJA De segunda a sexta-feira, entre 10h e 16h. Endereço: Rua Tenente Francisco Antônio, 364 (Rua do Comércio), Centro Histórico, Paraty/RJ. Mais informações, 24 99326-1951.

    Grátis
DETALHES DO PRODUTO
 
Material: tecido de algodão e tinta para tecido
Tamanho aproximado: 109 x 76 cm
 
SOBRE O PRODUTO
 
O grafismo usado na pintura corporal hoje também é usado para criar lindas telas, um modo de gerar renda, valorizar e promover a arte indígena. A pintura corporal é uma forma de expressão! Se pintam para rituais como casamento, para festejar, para protestar, para se despedir, agradecer, cultuar, guerrear, enterrar os mortos e para afirmar a família que cada um faz parte. A variação gráfica é enorme, sempre inspirados na natureza que os rodeiam.
 
 
Os Kayapó vivem ao longo do curso superior dos rios Iriri, Bacajá, Fresco e outros afluentes do rio Xingu. Estão no estado do Pará e também no Mato Grosso. Se autodenominam Mebêngôkre, "os homens do lugar d'água". São falantes de uma língua do tronco Macro-Jê, tendo algumas variações entre os grupos Kayapó. Se organizam nas aldeias em forma circular em torno de uma grande praça descampada.
 
FICHA TÉCNICA
 
Localização: Mato Grosso e Pará
População aproximada: 11675 (Siasi/Sesai, 2014)
Família Linguística: Jê