Artes Indígenas no Brasil

DETALHES DO PRODUTO
Material: Fibra de arumã
Tamanho aproximado: 5,5 x 5,5 cm

A pulseira Waimiri é famosa por seu formato em molas, sem início ou final. É trançada toda em um fio contínuo de fibra de arumã. Originalmente é usada para proteger o pulso do impacto causado pela corda do arco e flecha, mas hoje enfeita pulsos de homens e mulheres das cidades como símbolo da força indígena.

Os Waimiri Atroari tem seu território entre os Rios Uatumã, Branco e Negro. É um povo extremamente guerreiro e que passou por diversos choques de conflitos durante o contato. 

Entre os anos 1970 a 1980 houve a construção da BR-174 (Manaus à Boa-Vista), onde as forças armadas levaram a cabo um projeto de extermínio da população Waimiri. Ainda nos anos 80, houve alagamento de 30 mil ha de seu território devido à construção da Usina Hidrelétrica de Balbina e ainda tiveram sua situação agravada com a exploração de minério por empresas privadas.

Após tanta violência, e quase perder toda sua população, os Waimiri conseguiram enfrentar estas situações e homologar suas terras em 1989, nos esforços contínuos de manter sua cultura viva.

Waimiri Atroari
Localização: Roraima e Amazonas
População aproximada: 2009
Família Linguística: Karib

Pulseira de fibra de arumã - Waimiri Atroari

Esgotado
Pulseira de fibra de arumã - Waimiri Atroari

DETALHES DO PRODUTO
Material: Fibra de arumã
Tamanho aproximado: 5,5 x 5,5 cm

A pulseira Waimiri é famosa por seu formato em molas, sem início ou final. É trançada toda em um fio contínuo de fibra de arumã. Originalmente é usada para proteger o pulso do impacto causado pela corda do arco e flecha, mas hoje enfeita pulsos de homens e mulheres das cidades como símbolo da força indígena.

Os Waimiri Atroari tem seu território entre os Rios Uatumã, Branco e Negro. É um povo extremamente guerreiro e que passou por diversos choques de conflitos durante o contato. 

Entre os anos 1970 a 1980 houve a construção da BR-174 (Manaus à Boa-Vista), onde as forças armadas levaram a cabo um projeto de extermínio da população Waimiri. Ainda nos anos 80, houve alagamento de 30 mil ha de seu território devido à construção da Usina Hidrelétrica de Balbina e ainda tiveram sua situação agravada com a exploração de minério por empresas privadas.

Após tanta violência, e quase perder toda sua população, os Waimiri conseguiram enfrentar estas situações e homologar suas terras em 1989, nos esforços contínuos de manter sua cultura viva.

Waimiri Atroari
Localização: Roraima e Amazonas
População aproximada: 2009
Família Linguística: Karib