Artes Indígenas no Brasil
DETALHES DO PRODUTO
Material: Espinhos de palmeira e buriti
Tamanho aproximado: 11 x 11 cm
 
Pente de espinhos de palmeira trançado com fibra de buriti. A técnica de trançar a fibra, empregada nesse objeto, segue o conhecimento de cestaria representando grafismos inspirados na natureza. O pente Karajá faz parte da rica cultura material desenvolvida por esse povo, que envolve técnicas de construção de casas, tecelagem de algodão, adornos plumários, artefatos de palha, madeira, minerais, concha, cabaça, córtex de árvores e cerâmica. 
 
Habitantes seculares das margens do rio Araguaia nos estados de Goiás, Tocantins e Mato Grosso, os Karajá têm uma longa convivência com não indigenas, o que, no entanto, não os impediu de manter costumes tradicionais do grupo como: a língua nativa, as bonecas de cerâmica, as pescarias familiares, os rituais como a Festa de Aruanã e da Casa Grande (Hetohoky), os enfeites plumários, a cestaria e artesanato em madeira e as pinturas corporais, como os característicos dois círculos na face. O nome deste povo na própria língua é Iny, ou seja, "nós". O nome Karajá não é a auto-denominação original. É um nome tupi que se aproxima do significado de "macaco grande".
 
Karajá
Localização: Goiás, Mato Grosso, Pará, Tocantins
População aproximada: 3768
Família Linguística: Karajá

PENTE DE FIBRA E ESPINHOS - KARAJÁ

R$48,00
PENTE DE FIBRA E ESPINHOS - KARAJÁ R$48,00
Entregas para o CEP:

Meios de envio

  • RETIRADA NA LOJA De segunda a sexta-feira, entre 10h e 16h. Endereço: Rua Tenente Francisco Antônio, 364 (Rua do Comércio), Centro Histórico, Paraty/RJ. Mais informações, 24 99326-1951.

    Grátis
DETALHES DO PRODUTO
Material: Espinhos de palmeira e buriti
Tamanho aproximado: 11 x 11 cm
 
Pente de espinhos de palmeira trançado com fibra de buriti. A técnica de trançar a fibra, empregada nesse objeto, segue o conhecimento de cestaria representando grafismos inspirados na natureza. O pente Karajá faz parte da rica cultura material desenvolvida por esse povo, que envolve técnicas de construção de casas, tecelagem de algodão, adornos plumários, artefatos de palha, madeira, minerais, concha, cabaça, córtex de árvores e cerâmica. 
 
Habitantes seculares das margens do rio Araguaia nos estados de Goiás, Tocantins e Mato Grosso, os Karajá têm uma longa convivência com não indigenas, o que, no entanto, não os impediu de manter costumes tradicionais do grupo como: a língua nativa, as bonecas de cerâmica, as pescarias familiares, os rituais como a Festa de Aruanã e da Casa Grande (Hetohoky), os enfeites plumários, a cestaria e artesanato em madeira e as pinturas corporais, como os característicos dois círculos na face. O nome deste povo na própria língua é Iny, ou seja, "nós". O nome Karajá não é a auto-denominação original. É um nome tupi que se aproxima do significado de "macaco grande".
 
Karajá
Localização: Goiás, Mato Grosso, Pará, Tocantins
População aproximada: 3768
Família Linguística: Karajá