C.A.N.O.A. - Centro de Artes Nativas Originárias das Américas
DETALHES DO PRODUTO
Material: Madeira caixeta
Tamanho aproximado:  18 x 13 x 4 cm

Barco decorativo, símbolo da cultura caiçara, produzido manualmente com madeira de caixeta por artesão do Saco do Mamanguá - Paraty/RJ. A caixeta é uma planta arbórea que ocorre em regiões do litoral sujeitas a inundação, sua baixa densidade é ideal para o uso em artesanato. A retirada dessa madeira para a confecção dos barcos é feita com manejo sustentável. 

Denominam-se caiçaras os habitantes tradicionais do litoral das regiões Sudeste e Sul do Brasil, formados a partir da miscigenação entre índios, brancos e negros. A comunidade caiçara sempre desenvolveu seus próprios instrumentos de trabalho, como remos, cestos, canoas, barcos e redes de pesca, e para as crianças brincarem miniaturas como os barquinhos de madeira. O artesão Dinei, caiçara da região do Saco do Mamanguá em Paraty/RJ, a partir do manejo sustentável da madeira de caixeta expressa sua cultura em miniaturas de escunas, canoas e traineiras que navegam pela região da Baía de Paraty. Com acabamento impecável, Dinei compõe a renda familiar e sonha em um dia viver apenas de sua arte. A renda obtida com a venda do artesanato ajuda muitas famílias de comunidades tradicionais garantindo dignidade e inclusão.

BARCO DE MADEIRA P - PARATY

R$28,00
Esgotado
BARCO DE MADEIRA P - PARATY R$28,00
DETALHES DO PRODUTO
Material: Madeira caixeta
Tamanho aproximado:  18 x 13 x 4 cm

Barco decorativo, símbolo da cultura caiçara, produzido manualmente com madeira de caixeta por artesão do Saco do Mamanguá - Paraty/RJ. A caixeta é uma planta arbórea que ocorre em regiões do litoral sujeitas a inundação, sua baixa densidade é ideal para o uso em artesanato. A retirada dessa madeira para a confecção dos barcos é feita com manejo sustentável. 

Denominam-se caiçaras os habitantes tradicionais do litoral das regiões Sudeste e Sul do Brasil, formados a partir da miscigenação entre índios, brancos e negros. A comunidade caiçara sempre desenvolveu seus próprios instrumentos de trabalho, como remos, cestos, canoas, barcos e redes de pesca, e para as crianças brincarem miniaturas como os barquinhos de madeira. O artesão Dinei, caiçara da região do Saco do Mamanguá em Paraty/RJ, a partir do manejo sustentável da madeira de caixeta expressa sua cultura em miniaturas de escunas, canoas e traineiras que navegam pela região da Baía de Paraty. Com acabamento impecável, Dinei compõe a renda familiar e sonha em um dia viver apenas de sua arte. A renda obtida com a venda do artesanato ajuda muitas famílias de comunidades tradicionais garantindo dignidade e inclusão.